Três motivos para começar a criar abelhas sem ferrão

A criação de abelhas nativas sem ferrão vem crescendo em todo território nacional nos últimos anos, sendo cada vez mais praticada por pequenos e médios produtores. Essa atividade, também conhecida como meliponicultura, traz uma série de benefícios direto ao produtor (através da produção de produtos, como mel, pólen e própolis) e ao meio ambiente, através da preservação do meio ambiente.

Confira três bons motivos para começar uma criação de abelhas nativas sem ferrão.

Criação simplificada

(Colmeia de abelha sem ferrão instalada em uma áreas pública da cidade de Curitiba. Foto: Acervo Prefeitura de Curitiba)

Como o próprio nome indica, essas abelhas não possuem ferrão e são consideravelmente dóceis, logo, dispensam toda a gama de equipamentos de proteção individual como macacão, luvas ou fumigador usados na criação das abelhas com ferrão. Adicionalmente, por terem um tamanho geralmente menor em relação às abelhas tradicionais, elas possuem uma colmeia bem menor, viabilizando a criação em centros urbanos, perto de casas e residências. Por serrem abelhas independentes, não necessitam de cuidados diários, o que facilita a manutenção das colmeias.

Mel de qualidade

Embora produza uma quantidade menor de mel em relação às abelhas tradicionais, uma das grandes vantagens do mel das abelhas sem ferrão refere-se ao teor de açúcar, chagando a possuir 30% menos açucares que o mel das abelhas com ferrão. Esse mel possui uma elevada propriedade antibacteriana e antioxidante, sendo amplamente utilizado não somente na produção de alimentos, mas também na fabricação de remédios e cosméticos.

Preservação do meio ambiente

A polinização é a transferência do pólen entre diferentes plantas, permitindo a formação de frutos e sementes que, futuramente, produzirão uma nova planta. Ao voar de flor em flor para a coleta de polém e néctar, as abelhas acabam sendo diretamente responsáveis pela polinização de aproximadamente 80% de todas as plantas com flores, colaborando diretamente para a preservação da fauna e flora (biodiversidade) de uma região.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *